October 12, 2006

EDUARDO ARGÜELLES - a poesia luz, sombra, cor e humanidade

Natural do Rio de Janeiro, Eduardo Argüelles (Acadêmico Livre – cadeira n° 29 – patrono Barão Felix Taunay (pintor) - iniciou-se no desenho ainda menino, fascinado pelos trabalhos de sua irmã Rachel Argüelles. Envolvido pelos deveres da Medicina, Eduardo passou, porém, a desenhar esporadicamente, até que, novamente estimulado por Rachel e pelos vários prêmios obtidos com os desenhos, se iniciou na pintura, mantendo, por convicção pessoal, a condição de autodidata, que se enriquece no aprendizado através da observação do trabalho dos grandes mestres do passado e dos contemporâneos que admira. Wilma Vasconcellos foi pessoa marcante em sua nova trajetória, estimulando-o e levando os seus trabalhos para algumas das mais importantes galerias do Rio, além de tornar públicas as qualidades artísticas que vislumbrava no pintor. Também importantes foram Sonia Martins, Bette Souza e Regina Araújo, que, de uma forma ou de outra, contribuíram para a difícil decisão de sua profissionalização. Cursando, ainda, uma bem sucedida carreira de médico cardiologista, com livros publicados e o posto de Professor-Titular de Cardiologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro, somente o estímulo e o empenho de tais pessoas e de sua própria família poderiam fazer com que Argüelles resolvesse adotar uma nova atividade que, dia-a-dia, compete, em horas dedicadas e em prazer, com a paixão pela Medicina.

(Confira o restante da biografia de Eduardo Argüelles clicando aqui)

Quanto ao seu trabalho: é simplesmente magnífico! Seus últimos trabalhos são difíceis de adjetivar, pelo risco da insuficiência do observador. Melhor senti-los!!! São um universo interior oculto que se abre por detrás da forma e da cor, da luz e sombra, que Eduardo Argüelles utiliza com maestria incomum, nos levando a um mundo onírico e real da essência humana.

ausência

transposição

fascinação

Bem-haja Eduardo Argüelles por trocar de quando em vez o bisturi pelo pincel, e trabalhar na profilaxia das nossas disritmias espirituais com essas transfusões do Belo.

conheça estas e outras obras de Eduardo Argüelles clicando no link:
http://www.earguelles.com


0 Comments:

Post a Comment

<< Home